sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Quando não priorizar o necessitado pode ser pecado!


Devocional #17

Continuamos refletindo sobre o episódio que culminou na cura de um homem paralítico na cidade de Cafarnaum. Jesus cura um homem que é descido pelo telhado de uma casa lotada, onde todos prestavam a atenção em Jesus.

As pessoas que se reuniam naquela casa também tinham suas necessidades. Necessidades legítimas!

Alguns talvez tivessem necessidades físicas, sofressem de enfermidades e males físicos ou psicoemocionais e queriam aplacar seu sofrimento e por isso queriam ver Jesus.

Já outros estavam em busca de ouvir Jesus porque ele era tido como grande mestre, um rabino, alguém que tinha autoridade para interpretar a Lei de Moisés, e não poucos queriam ouvir palavras de sabedoria, e então se aproximavam de Jesus.

Outros talvez estivessem apenas interessados como curiosos, interessados no possível espetáculo de curas e maravilhas que Jesus poderia realizar. Sempre há pessoas assim onde muita gente está reunida.

Os motivos para todos lotarem aquela casa em Cafarnaum eram os mais diversos e variados
...e provavelmente nobres e legítimos!

Mas veja o que acontece? Ocorre que no afã de verem seus problemas resolvidos, todos ignoraram a necessidade do homem paralítico, que nem mesmo podia movimentar-se na direção de Jesus

Essa situação tem muito a nos ensinar.

É possível que em nossa busca por Deus, como era o caso das pessoas que estavam dentro daquela casa, a gente esteja tão interessado em suprir nossas necessidades pessoais que nos tornamos incapazes e insensíveis de perceber as necessidades do outro, que podem ser ainda mais urgentes que a nossa!

E esse era o caso da maioria, senão de todas as pessoa que estavam naquele recinto. Como sabemos disso? Ora, porque ninguém cedeu espaço para a entrada do homem paralítico!

Cada um estava interessado em resolver o seu próprio problema, receber a sua “graça” individual, mas estavam insensíveis às necessidades à sua volta!

Isso nos deve ser um alerta!

Precisamos ter olhos de misericórdia em relação ao sofrimento ao nosso redor, sendo-lhes agentes de cura e apresentando-lhes aquele que pode curar não apenas o corpo, mas a alma e o espírito do ser humano!

Oração: Pai amado, desperta-nos para olhar além das nossas necessidades pessoais, ainda que legítimas, para que possamos enxergar necessidades ainda mais urgentes ao nosso redor. Dá-nos o senso de abrir espaço em nossas agendas apertadas para que necessidades ainda mais urgentes que a nossa possam ser supridas pelo nosso serviço cristão. Amém!

Misericórdia é Para Quem Precisa, não Para Quem Merece!



Devocional #16

Ainda refletindo sobre o contexto do milagre em que Jesus cura um homem paralítico trazido pelos amigos que, em um ato de bravura, descem o homem doente pelo telhado de uma casa e o coloca de frente com Jesus, somos introduzidos a uma das características mais marcantes de Deus: a Misericórdia.

O Deus da Bíblia não é um Deus estático, inacessível, cheio de melindres como os deuses da mitologia grega. Não!

O Deus da Bíblia é um Deus que se compadece do sofrimento humano, que se envolve com sua criação.

O poder e o amor de Deus continuam alcançando com misericórdia os necessitados, como esse homem paralítico que quer ver Jesus, precisa de Jesus, e então é beneficiado pela misericórdia.

Em Jesus é revelado o caráter de Deus, que interrompe uma reunião apinhada de gente para socorrer um homem aflito no seu sofrimento.

Para além da cura da paralisia física daquele homem, Jesus também o curou de sua paralisia espiritual: “os teus pecados estão perdoados”.

Em Jesus nos é revelado um Deus que “pode fazer muito mais do que imaginamos ou pedimos”

O poder do nome de Jesus continua a nos curar das enfermidades físicas, emocionais e espirituais. Isso deve nos trazer esperança diariamente! Deus é bom e quer nos curar!

E porque experimentamos a cura de Deus em todos as dimensões da vida, também somos chamados para curar.

Mas porque devemos fazer isso? Porque aprendemos com Jesus e com os apóstolos que “o que recebemos de graça, devemos também dar de graça”.

O que recebemos de graça? Recebemos MISERICÓRDIA!

O que é misericórdia? É dar a alguém não o que ela merece, mas dar o que ela precisa!

Foi isso que Deus, através de Jesus, fez conosco. É isso que devemos fazer também!

Misericórdia é envolver-se em amor, porque quem ama se envolve!


Oração: Pai, que da mesma forma como sou beneficiado pela Tua misericórdia, eu possa agir com misericórdia com os necessitados. Amém!

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

O Poder da Vida em Comunidade


Devocional #15

O texto de Marcos 2.1-5 relata mais um dos milagres realizados por Jesus.

Nesse episódio Jesus está em uma casa na cidade de Cafarnaum. O povo ouviu que Jesus estava nessa casa e muita gente afluiu para lá.

Muita gente se juntou dentro daquela casa de sorte que quem queria entrar não conseguia e quem estava dentro não queria sair.

Trata-se de mais um dos milagres que atestam QUEM Jesus é, isto é, aos poucos Ele vai se revelando como o Messias esperado há muito pela comunidade de Israel.

À medida que as pessoas vão sendo testemunhas desses milagres, vão identificando em Jesus as características do Messias prometido.

O que fazia Jesus lá? “Pregava-lhes a Palavra”, diz o evangelista Marcos.

Jesus lhes apresentava o Reino de Deus, quando todos foram surpreendidos com um homem sendo descido numa cama por seus amigos, através de uma abertura que haviam feito no telhado da casa.

E mais uma vez Jesus usa sua autoridade espiritual para perdoar os pecados daquele homem, além de curar-lhe de sua paralisia física.

A cena é inusitada. Imagine Jesus ensinando na sala de uma casa abarrotada de gente. De repente começa cair uma leve poeira sobre ele. 

Jesus olha pra cima e vê um homem sendo baixado numa cama através da abertura do telhado. Tente imaginar quão inusitada foi essa situação!

Para além da CURA de um homem paralítico, há outros importantes aspectos e ensinamentos cujo impacto e reflexo se estendem aos nossos dias, gerando fé, esperança e sabedoria.

O que podemos aprender com esse episódio da cura:

  • Aprendemos que o poder de Deus continua alcançando com misericórdia os necessitados.
  • Aprendemos que mesmo na busca por Deus, podemos estar insensíveis a necessidades ainda maiores que a nossa.
  •   Aprendemos também que o ambiente da fé pode ajudar até mesmo os que não podem mover-se até Jesus.
  • Aprendemos ainda que a cura não ocorre em resposta à fé do paralítico, mas à fé dos seus amigos.

 Oração: Pai Celestial, que possamos contar com amigos como esses do homem curado de sua paralisia, que são capazes de nos levar até Jesus, principalmente quando não temos condições de ir sozinhos. Que possamos também ser esses amigos!


terça-feira, 26 de novembro de 2013

Seguir a Jesus Não É Uma Questão de Crença, mas de Obediência!



Devocional #14

Estamos refletindo sobre a parábola contada por Jesus no capítulo 21 de Mateus, em que um homem proprietário de uma plantação de uvas chega para os dois filhos e diz para o primeiro: “Filho, vá trabalhar hoje na vinha”, mas surpreendentemente ele responde “não quero”.

Então o Pai se volta para o segundo filho e diz a mesma coisa e ele responde: “Sim, Senhor! mas não foi!

Ocorre que o primeiro que tinha dito que não iria, mudou de ideia e acabou inda trabalhar na plantação do Pai. Já o segundo, que tinha dito que iria, acabou não indo!

Então Jesus pergunta aos seus discípulos: “Qual dos dois fez a vontade do Pai?” Aquele que disse que IRIA mas não foi, ou aquele que embora tenha dito inicialmente que NÃO IRIA, acabou indo?

Veja o que está acontecendo com esses dois filhos:

O primeiro disse: “Não vou” mas foi! Note que o que ele DISSE foi superado pela sua AÇÃO!
E ele foi APROVADO como alguém que FEZ a VONTADE de Deus! O nome disso é OBEDIÊNCIA!

Já o segundo filho disse: “Eu vou sim, Pai!”, mas não foi! Note que, novamente, o que ele DISSE, foi SUPERADO pelo o que ele NÃO FEZ!

O segundo filho foi REPROVADO por falta de ENGAJAMENTO e portanto de OBEDIÊNCIA!

Essa parábola é uma analogia do significado de seguir a Jesus. Seguir a Jesus não é apenas uma questão de CRENÇA, mas sobretudo de OBEDIÊNCIA e ENGAJAMENTO no Reino de Deus!

Então Jesus fecha a conversa dizendo: “É por isso que os PUBLICANOS e PROSTITUTAS estão entrando ANTES de vocês no Reino”

Jesus disse isso porque muitos religiosos que já tinham conhecimento a respeito de Deus e do Reino de Deus, não se ENGAJAVAM para que esse Reino viesse e se tornasse uma realidade esperançosa entre os homens.

Já pecadores como Zaqueu e Maria, mesmo sem ter muito CONHECIMENTO das realidades espirituais, e apesar de suas fraquezas e pecados, se ARREPENDERAM e logo em seguida se tornaram altamente ENGAJADOS no Reino de Deus!

É por isso que todos e cada um de nós está sendo chamado a se engajar na missão de resgatar os perdidos com o nosso testemunho e com a nossa mensagem.

Não basta alguém saber sobre Jesus. Não basta alguém crer em Jesus. Fomos chamados por Deus para nos engajarmos no Reino de Deus. E isso é um sinal de OBEDIÊNCIA!

Que firmemos essa convicçãono nosso coração de que não é pelo muito falar, mas é pelo agir!

Os discípulos de Jesus não se ocupam em FALAR MUITO! Eles não precisam. Eles AGEM! Eles se ENGAJAM! Eles OBEDECEM ao CHAMADO!

Não precisam falar muito porque a sua própria vida GRITA! Sua vida é reconhecida pelos FRUTOS!

Oração: Pai Amado, dai-nos a benção de vivermos uma vida que reflita a Tua glória nesse mundo cheio de escuridão. Nos ajuda a internalizar no nosso ser que seguir a Jesus pela vida não se trata de ter um conjunto de crenças, mas viver em obediência a tudo aquilo que Ele nos ensinou como Caminho de Vida. Contamos com ajuda do Teu Espírito. Amém!

Seguir a Jesus Não é Uma Questão de Intenção, mas de Engajamento!


Devocional #13


No capítulo 21 de Mateus, Jesus conta uma parábola em que um homem proprietário de uma plantação de uvas chega para os dois filhos e diz para o primeiro: “Filho, vá trabalhar hoje na vinha”, mas surpreendentemente ele responde “não quero”.

Então o Pai se volta para o segundo filho e diz a mesma coisa e ele responde: “Sim, Senhor! mas não foi!

Ocorre que o primeiro que tinha dito que não iria, mudou de idéia e acabou inda trabalhar na plantação do Pai. Já o segundo, que tinha dito que iria, acabou não indo!

Então Jesus pergunta aos seus discípulos: “Qual dos dois fez a vontade do Pai?” Aquele que disse que IRIA mas não foi, ou aquele que embora tenha dito inicialmente que não iria, acabou indo?

E Jesus mesmo responde: “Digo-lhes a verdade: os PUBLICANOS e as PROSTITUTAS estão entrando ANTES de vocês no Reino de Deus”.

O que Jesus está nos alertando nessa parábola é que alguém pode ser simpatizante de algo ou de alguma instituição com credibilidade, mas isso não isso significa que ela faça parte dessa instituição!

Alguém pode admirar muito o Corpo de Bombeiros, pode concordar com os seus valores, pode falar bem dos bombeiros, mas isso vai adiantar alguma coisa se na hora do incêndio, do desabamento a pessoa não estiver disponível e bem treinada para atuar?

Claro que não! Da mesma forma somos nós em relação ao Reino de Deus!

Viver os valores do Reino de Deus é encarnar seus valores, quais sejam: praticar a justiça, promover a paz e abrir os olhos da humanidade sobre as alegrias do Espírito.

Trata-se efetivamente de uma prática de vida, de um estilo de vida. Não se trata daquilo que você fala, nem do seu conhecimento a respeito de religião ou teologia! Não se trata de nada disso!

Ao contrário, se trata da nossa prática de fazer o que precisa ser feito!

E o que é que precisa ser feito? Precisamos AGIR como os bombeiros! Tirar pessoas do meio do fogo destruidor; tirar pessoas de debaixo dos desabamentos da vida!

Precisamos ir além do que acreditar, gostar, saber de coisas boas! Precisamos AGIR!

Precisamos nos engajar! Precisamos estar onde a batalha está acontecendo!

É por isso que Jesus diz: “Nem todo aquele que me diz, Senhor, Senhor, entrará no Reino dos céus, mas apenas aquele que FAZ a vontade do meu Pai”

Oração: Senhor, que sejamos os bombeiros desse mundo, livrando os perdidos do fogo eterno da eternidade sem Deus, e socorrendo as pessoas dos desabamentos e das tragédias da vida. Em Nome de Jesus. Amém.

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

No Reino de Deus, mais Importante do Que Falamos é o Que Fazemos!


Devocional #12

"O que acham? Havia um homem que tinha dois filhos. Chegando ao primeiro, disse: Filho, vá trabalhar hoje na vinha. E este respondeu: Não quero! Mas depois mudou de idéia e foi.

O pai chegou ao outro filho e disse a mesma coisa. Ele respondeu: Sim, senhor! Mas não foi. Qual dos dois fez a vontade do pai? O primeiro, responderam eles.

Jesus lhes disse: Digo-lhes a verdade: Os publicanos e as prostitutas estão entrando antes de vocês no Reino de Deus. Porque João veio para lhes mostrar o caminho da justiça, e vocês não creram nele, mas os publicanos e as prostitutas creram. E, mesmo depois de verem isso, vocês não se arrependeram nem creram nele”    (Mateus 21.28-32)

Os evangelhos registram ao menos 32 parábolas de Jesus. Jesus utilizava essas histórias da vida cotidiana da Palestina para que os seus ouvintes pudessem entender as verdades espirituais que ele estava ensinando. Eis aqui mais uma dessas parábolas.

Nela Jesus conta a história de um homem que tinha dois filhos. Como se sabe, na Palestina dos tempos de Jesus, ter filhos homens era uma vantagem porque isso implicava na sucessão familiar e também principalmente em mão de obra importante na construção do patrimônio da família.

Então esse homem chega para os dois filhos e diz para o primeiro: “Filho, vá trabalhar hoje na vinha”, mas surpreendentemente ele responde “não quero”.

Então o Pai se volta para o segundo filho e diz a mesma coisa e ele responde: “Sim, Senhor!, mas não foi!

Ocorre que o primeiro que tinha dito que não iria, mudou de idéia e acabou inda trabalhar na plantação do Pai. Já o segundo, que tinha dito que iria, acabou não indo!

Então Jesus pergunta aos seus discípulos: “Qual dos dois fez a vontade do Pai?” : Aquele que disse que IRIA mas não foi, ou aquele que embora tenha dito inicialmente que NÃO IRIA, acabou indo?

E Jesus mesmo responde: “Digo-lhes a verdade: os PUBLICANOS e as PROSTITUTAS estão entrando ANTES de vocês no Reino de Deus”.

Aqui está uma história bem curiosa entre o DISCURSO e a PRÁTICA da nossa fé.
Aqui também está a resposta do motivo pelo qual muita gente PROFESSA JESUS, crê em Jesus, gosta de ouvir falar em Jesus e de Jesus, mas na prática NÃO FAZ O QUE JESUS MANDA FAZER!

Nesta parábola dita por Jesus há importantes verdades espirituais, princípios de vida que aqui estão sendo ensinados”

A gente aprende com Jesus que não devemos acreditar cegamente no que as pessoas DIZEM, mas devemos observar se o que elas dizem CORRESPONDEM à sua PRÁTICA!

Mas parece que Jesus vai mais adiante. Ele diz: “entre você escolher uma pessoa que PROMETE mas não CUMPRE, é melhor lidar com uma que até diz NÃO, mas depois é capaz de MUDAR e fazer o que se pediu!

Esse ensinamento de Jesus tem efeitos práticos de longo alcance!

A fé cristã, não é algo apenas que você ACREDITA, não é apenas uma CARTA DE INTENÇÕES.

No reino de Deus, mais importante do que dizemos é o que fazemos!

Oração: Pai Celestial, da-nos a capacidade de agir ao invés de nos esconder atrás de intenções e desculpas. Queremos fazer a Tua vontade. Não permita que fiquemos apenas nos discursos de piedade, mas que sejamos de fato instrumentos e Deus agindo em um mundo necessitado de Deus!

domingo, 24 de novembro de 2013

Você Precisa Agir Porque Diante de Jesus a Neutralidade é Impossível!


Devocional #11


Há personagens incríveis em toda a Bíblia. 

Alguns são objeto de muitas páginas; outros são brevemente citados, mas todos eles cumprem um script divino no sentido de jogar luz no plano de Deus de, através de Seu Filho Jesus, ir apresentando ao mundo a realidade do Reino de Deus.

Um desses personagens é um homem piedoso chamado Simeão, cuja breve história é registrada no capítulo 2 do Evangelho segundo Lucas. Ele ora assim:

“Meus olhos já viram a tua salvação...luz para revelação aos gentios e para a glória de Israel, teu povo”

Ele aguardava ansiosamente o Messias e Deus lhe disse que ele não morreria antes de vê-lo.

Movido pelo Espírito Santo, ele entrou no pátio do templo no momento exato em que José e Maria chegavam ali com seu filho de oito dias.

Foi um exemplo maravilhoso de sincronização divina. Naquele instante Simeão teve discernimento para reconhecer Jesus – ainda um simples bebê de 8 dias.

Quando alguém tem, de fato, um encontro com Jesus, isso aparece na sua vida de forma patente.

Não se trata de um “esbarrão” em Jesus, mas um “encontro” intencional com Ele, assim como aconteceu com a mulher curada de um fluxo de sangue, e também como este homem chamado Simeão.

Quando isso acontece, a vida da pessoa é impactada, seus valores são reordenados, suas prioridades realocadas, sua mente se expande, sua fé desperta.

De fato o que ocorre é aquilo que a Bíblia descreve como “novo nascimento”. Um “novo homem” para viver uma “nova vida”, sob uma “nova aliança” com Deus. De fato, “eis que tudo se fez novo”!

Veja os efeitos do encontro de Simeão com Jesus:

Primeiramente, Simeão discerniu em Jesus, a própria salvação de Deus
O que os seus olhos tinham visto foi o filho de Maria; porém o que ele disse ter visto foi a salvação de Deus, o Messias que Deus havia enviado para nos libertar da pena e da prisão do pecado.

Em segundo lugar, Simeão viu Jesus como a luz do mundo, que ilumina as nações e traria glória ao povo de Israel, com seus efeitos chegando até nós nos dias de hoje.

Em terceiro lugar, Simeão viu Jesus como um motivo de divisão, uma rocha que seria tropeço para alguns e edificação para outros. Ele faria com que alguns se erguessem e que outros caíssem.

A Vida de Simeão nos ensino um importante princípio: 

Diante de Jesus, a neutralidade é impossível.

Quem quer seguir a Jesus precisa se posicionar, precisa se envolver. Por quê? 

Porque o próprio Deus se envolveu em misericódia em amor quando enviou ao mundo o seu amado e único Filho: Jesus!

Cada um de nós está sendo convocado a agir em Nome de Jesus como luz do mundo anunciando que Jesus é a única solução para esse mundo perdido.

Isso pode gerar alguma oposição. Para alguns seremos inconvenientes e até um emepecilho aos seus interesses malévolos, mas não devemos nos intimidar. Somos assegurados pelas escrituras que “maior é o que está em nós do que o que está no mundo”

Portanto, faça como o piedoso Simeão. Discirna e envolva-se no reino de Deus. Quem ama se envolve!

Oração: Pai Nosso. Que assim como Simeão, nossos olhos possam contemplar a Tua salvação, e passamos estendê-la aos lugares mais necessitados como a Boa Notícia que o Reino de Deus chegou, está ao alcance da mão, e os que estenderem suas mãos para Jesus, jamais sairão de mãos vazias!


quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Você Faz Parte de Uma Grande Trama Divina de Amor Chamada Redenção


Devocional #10


Não estamos nesse mundo por acaso. Nem mesmo os eventos de nossa vida acontecem por acaso. Deus nos criou à sua imagem e semelhança porque tinha planos de, após nos salvar, nos incluir nessa grande trama de amor da trindade chamada redenção.

Mas o que a Bíblia chama de redenção. É o plano de Deus, concebido desde a eternidade, de reconciliar o homem e a criação consigo, através do sacrifício do “cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo", fazendo com que todas as coisas convirjam em Cristo, sendo tudo restaurado dos efeitos do entrada do pecado e da maldade no mundo.

E nós somos chamados a fazer parte desse grandioso plano de redenção cósmica. Você que é cristão precisa compreender e internalizar isso. Você não foi chamado para ser evangélico, ir a igreja aos domingos, gostar de religião ou qualquer coisa do tipo!

Você foi chamado para ser parceiro de Deus na redenção do mundo. Isso é o significado de se tornar discípulo de Jesus! Você consegue imaginar algum projeto de vida maior do que esse?

Mas quem é Jesus, o Cristo. Como Ele entrou no nosso mundo? Como Ele entrou na história?
O teólogo britânico John Stott nos ajuda a entender como isso aconteceu:

Após quatrocentos anos de espera silenciosa, de repente Deus quebra o silêncio, não através de um profeta, mas de um anjo. A mensagem que o anjo Gabriel trouxe a Nazaré deixou Maria perplexa – em parte porque ela seria mãe, embora fosse solteira e virgem, e em parte por causa dos três títulos superlativos que seu filho receberia.

Primeiro, ele se chamaria Jesus, indicando que receberia uma missão salvadora.

Segundo, ele seria grande, recebendo o nome acima de qualquer outro nome, o de Filho do Altíssimo.

Terceiro, ele reinaria sobre Israel para sempre. Na verdade seu reino nunca teria fim.

Salvador, Filho do Altíssimo e Rei Eterno – foram esses três títulos que o anjo disse a Maria que ele receberia.

Não é à toa que Maria ficou “perturbada” ou mesmo confusa com a mensagem do anjo. (Lc 1.29). Ela então perguntou ao anjo como isso aconteceria. E o anjo Gabriel respondeu de forma majestosa:

O Espírito Santo virá sobre você, e o poder do Altíssimo a cobrirá com a sua sombra... Pois nada é impossível para Deus”

Dois mil anos depois, a missão de Jesus é também a missão da Igreja, ou seja, cada um de nós seus discípulos que formamos o Corpo de Cristo: anunciar e sinalizar o Reino de Deus na história, fazendo o que Jesus faria se aqui estivesse, lutando contra toda forma de opressão e aprisionamentos, sejam eles espirituais, psicológicos, biológicos, sociais, relacionais ou de qualquer outra ordem.

Somos convocados para dizer ao mundo uma mensagem: O Reino de Deus chegou! Quem inaugurou esse Reino de Paz, Justiça e alegria no Espírito foi seu Filho amado Jesus, que é o único caminho de reconciliação do homem com o Deus.

Aliás, o Caminho, a Verdade e a Vida!

Em Jesus, Deus veio viver entre nós e se envolver em amor com a humanidade. Nós somos chamados a fazer o mesmo por que... Quem ama se envolve!


Oração: Pai Amado, que possamos nos livrar da mesquinhez de achar que estamos nesse mundo apenas para olhar para o próprio umbigo e cuidar apenas da nossa própria vida. Faz-nos enxergar a grandeza do papel que fomos chamados a desenvolver nesse mundo. Contamos com a imprescindível ajuda do Espírito Santo, tanto para reconhecer a missão como fazê-la. Estamos confiantes porque sabemos que “para Deus nada é impossível”.

Entenda na Prática o Que é Frutificar, o Que é se Envolver!



Devocional #9

(reportagem do G1 sobre o impressionante trabalho do Marcelo Quintela na África. Ele esteve na Comunidade Hatus em 2011)

Dentista brasileiro luta para salvar as ‘crianças bruxas’ caçadas na Nigéria

Marcelo Quintela, de Santos (SP), criou instituição para realizar missões.
Centenas de voluntários participam dos projetos sociais feitos pelo dentista.


Marcelo Quintela já foi quatro vezes à África para ações sociais (foto: Arquivo Pessoal / Marcelo Quintela)
Anna Gabriela Ribeiro, no G1
Um dentista de Santos, no litoral de São Paulo, já atravessou o oceano quatro vezes para salvar crianças consideradas ‘bruxas’ na Nigéria. Marcelo Quintela, que acumula o trabalho de agente humanitário, preside uma instituição que se engaja em projetos sociais na África, na Baixada Santista e no Nordeste do Brasil, reunindo centenas de voluntários que dedicam parte de suas rotinas para lutar por vidas mais justas e com melhores perspectivas.
Recentemente, um grupo de cerca de 20 voluntários voltou da Nigéria, onde realizava um trabalho que resgatava crianças classificadas como bruxas. Segundo Quintela, estes sacerdotes falam para os pais que as crianças são bruxas, por qualquer motivo, como alguma convulsão, febre ou até mesmo se for uma criança desobediente. Desta forma, os pais, pagam uma quantia e entregam os filhos à estes sacerdotes para que eles curem a criança. “Estamos na Nigéria desde 2010. Éramos andarilhos, resgatando crianças que estavam sequestradas por sacerdotes, que as mantinham amarradas, presas em galpões. A gente recebia as denúncias e íamos atrás delas. As crianças eram consideradas bruxas, por isso entregues à esses sacerdotes, para que eles cuidassem delas e tirassem o espírito mal delas, mas é tudo porque o cara ganha dinheiro dos pais das crianças, que são supersticiosos e acreditam no que as pessoas falam.  Eles não matam, mas amarram às árvores para que morram. Ir para lá é perigoso, mas os brasileiros conseguem a penetração lá. Só por sermos brasileiros somos muito respeitados. A África ama o Brasil”, conta Quintela.
Instituto Religar inclui outros projetos - (foto: Arquivo Pessoal / Marcelo Quintela)
Quintela conta que começou a se engajar com causas sociais quando tinha 12 anos de idade. “Eu presidia a juventude presbiteriana em Santos. Nós saiamos às ruas para atender moradores de rua, fazíamos sopão da madrugada, fazia incursões ao Dique Sambaiatuba, em São Vicente. Lá eu tive os primeiros choques de realidade. Apesar de ser morador de um bairro pobre, na área do Mercado Municipal, na Vila Mathias, eu nunca tinha entrado em um lugar tão miserável com casas em palafitas. Lembro que passei a ter muita afinidade com famílias, me envolvi com coração mesmo. Hoje temos ações na Nigéria, Senegal, Vila Gilda e Sertão do Nordeste. Não escolhemos esses lugares, temos o principio de ir para onde ninguém quer ir. Mas esses lugares apareceram”, relata.
No sertão do Pernambuco, o grupo luta por uma solução para a seca. “A SOS Religar trabalha contra a seca no sertão do Pernambuco, considerada a maior seca dos últimos 60 anos. Por que o Brasil não resolveu o sertão? Por que tem dinheiro mas não resolvem essa questão? Lógico que eu descobri as questões políticas relacionadas a isso. Fiquei muito inconformado. Mas vamos fazer a nossa parte, mesmo que seja pequena. Nossa pequena ajuda já alcança 300 famílias, porque abrimos quatro poços, que dão água para sempre para elas. Um engenheiro agrícola voluntário faz isso, são todos técnicos voluntários. O chão era como areia de praia. Não achava que fosse possível nascer algo, mas quando irriga com a água do poço, nasce rápido. Com R$ 5 mil abrimos um poço, então o problema do sertão já era para ser resolvido”, diz.
Na região da Baixada Santista, o trabalho se concentra nos Dique Sambaiatuba, Vila Gilda e Vila Telma. “No dique nós transformamos a vida da família, profissionalizando quem não tem capacitação, dando uniforme para a criança, viabilizamos transporte para que ela vá até a escola. Não queria fazer melhorias no dique, não quero melhorar o que não era nem para existir. Isso significa aceitar que se perpetue um tipo de moradia que não era para existir. Para o dique não vai mudar nada, para as famílias vai mudar tudo. Queremos mudar, por o menino para um curso técnico, fazer com que o jovem faça o Enem e consiga a bolsa na faculdade”, explica Marcelo.
Para ser um voluntário do Instituto Religar, é preciso preencher uma ficha no site para descobrir em qual projeto a pessoa se enquadra melhor. Marcelo afirma que muitas pessoas ainda questionam porque ele se dedica tanto à estas causas. “As pessoas precisam fortalecer o espírito para fazer o que fazem pelo próximo. Fazer o bem é contra a correnteza. As pessoas não querem sair de sua zona de conforto, por isso eu prezo tanto o voluntariado. As pessoas perguntam o que eu ganho com isso. Eu ganho sentido para vida. Não sou ortodentista mais do que sou hoje um agente humanitário”, diz.
Cerca de 20 voluntários vão para a Nigéria (foto: Arquivo Pessoal / Marcelo Quintela)
Livro
Marcelo Quintela escreveu um livro que relata as histórias vividas na Nigéria, no trabalho de resgate das crianças-bruxas. O diário traz diversas fotos e depoimentos. Os recursos obtidos com as vendas serão destinados aos projetos desta missão.  O lançamento do livro “Missão Salvar Crianças Bruxas” será lançado no dia 7 de dezembro, na livraria Realejo, que fica na avenida Marechal Deodoro, nº 2, em Santos.

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Por que Somos Chamados a nos Envolver e Frutificar?


Devocional #8

Muito mais do que sermos membros de igrejas, somos convocado por Jesus para nos envolver com os problemas que afligem as pessoas, porque as pessoas são o que Deus mais ama e foi por elas que Cristo morreu.

Segue abaixo reflexão do nosso irmão Jeferson Campos após retorno de viagem missionária à Conferência Missão na Íntegra.

Algumas reflexões sobre o que aprendi na viagem missionária em Goiânia

1.    Entender que os Frutos do Espirito são muito mais importantes de se buscar do que o poder do Espirito.

2.    Que não precisamos ser a igreja que mudará a história, mas sim ser simplesmente igreja.

3.    Que pessoas são mais importantes que qualquer estrutura.

4.    Que precisamos dar voz aos que não tem voz.

5.    Que nossa mensagem não é contra os gays ou outra coisa parecida, mas sim que nossa mensagem é que Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu filho único para morrer por nossos pecados.

6.    Que estamos aqui para amar pessoas, pois Deus escolheu ser amado através das pessoas.

7.    Que na mesma intensidade que falamos do amor de Cristo, temos que ter práticas que demonstrem o quanto Cristo ama a todos.

8.    Que não podemos resumir o amor de Deus em palavras, pois falar que ama é resumo de algo muito melhor entendido quando se tem atitudes.

9.    Que cumprir o Reino de Deus é seguir a Jesus na íntegra e isso vai nos tirar da zona de conforto e nos levar para cruz.

10. Que se somos 40 milhões de evangélicos o mundo o Brasil deveria ser um lugar bem melhor para se viver.

11. Que o mundo produz alimento para 12 bilhões de pessoas por ano e só existem 7 bilhões de pessoas no planeta. E destes 7 bilhões, mais da metade vive em situação de miséria e alguns bilhões morrem de fome - cerca de uma pessoa por segundo morrendo de fome e nós não falamos nada.

12. Que o Brasil é um dos países mais desiguais do mundo.

13. Que no nordeste brasileiro o índice de crianças que não passam da primeira infância é alarmante.

14. Que a Igreja de Jesus é por vontade de Deus a voz profética para denunciar todos esses pecados.

15.  Que a única solução para a humanidade está em Cristo, e a igreja é o corpo de Cristo.

Eis aqui um verdadeiro campo missionário em que urge que os discípulos de Jesus se envolvam com ele. Porque quem ama se envolve!

Oração: Senhor, livra-nos da indolência e do conformismo. Não podemos nos conformar em ser apenas auditórios para encontros dominicais. Desperta-nos para ser Igreja de fato. Que, como SAL e LUZ no mundo, possamos dar sabor à vida e iluminar a escuridão com a Palavra de Deus.